terça-feira, março 24, 2009

Vagina Financia Estudos

Definitivamente esse é o planeta das bizarrices.
Não vou abrir uma discussão sobre ser ou não ser ética a doutrina do pensamento "os fins justificam os meios".
Vou apenas me limitar a mostrar um exemplo bem recente sobre o assunto.

Uma garotinha romena, de 18 anos, chamada Alina, a fim de custear seus estudos numa faculdade resolveu leiloar sua própria vagina adolescente virgem, pela internet.
A intenção é arrecadar 50 mil libras.
Quem arrematar a pererequinha terá o direito de usufruto e não de posse, podendo chegar, segundo Alina, a uma semana inteira de sexo.
Muitos falam que o fim é nobre - os estudos dela - e que é melhor do que ela ser desvirginada sem ter a chance de tornar o evento em algo que traga benefício concreto.
Outros argumentam que o que ela quer é começar uma vida prostituta por cima, com bastante dinheiro na mão.
Eu não tenho idéia.
Só fico imaginando se ela tem família.
Se tem mãe... Se tem pai...
Se há dificuldades da família em manter os estudos dessa guria, e vai por aí.

Confesso que tenho bastante dificuldade de entender essa macarronada por conta das minhas vivências e por conta da minha origem.
Acho que a Romênia deve ter mudado desde que estive lá.
Se tem alguma mentira nessa história eu também não faço idéia.
Nas sociedades ocidentais ditas modernas mente-se muito para se vender uma imagem, portanto...

Vocês, amigos e leitores, acham que a Alina tá usando bem a lógica do "os fins justificam os meios"?
Ou não?
Ou ela é só uma garotinha mal saída dos cueiros sendo orientada a fazer algo pouco comum?

.

quinta-feira, março 19, 2009

Windows Vista e Memória Readyboost

Voltando ao assunto pen drive, uns amigos me mandaram e-mail perguntando sobre usá-lo como memória física do computador.
Vou tentar lançar um pouco de luz sobre o tema.
Para quem usa o Windows Vista a notícia pode ser boa.
O Vista tem um recurso muito interessante chamado ReadyBoost.
Esse tal de ReadyBoost é uma nova tecnologia que permite usar um pen drive para adicionar mais memória RAM ao computador.
Esse recurso melhora muito o desempenho do micro no que diz respeito à quantidade de memória.
Vamos a ela.
O teu pen drive deve ter capacidade entre 256Mb e 4Gb (512Mb é o recomendado); velocidade de gravação 2,5Mb/s e de leitura 3,5Mb/s; ter 64Mb de espaço livre, no mínimo.
Coloque o pen drive.
Vá no menu "opções de Geral" e selecione "acelerar meu sistema" e escolha o máximo possível.
Sendo que 512Mb é o recomendado.
Pronto.
Isso é bastante para que o recurso Readyboost leia o teu pen drive como memória.
Daí, se teu micro tem 512Mb de memória e tu usa um pen drive dessa forma, o Windows Vista entende que a memória disponível dobrou de tamanho.
O que vai fazer ele rodar programas com mais facilidade e rapidez.

Mas cabe a mim alertar que isso é um recurso do Windows Vista.
Outras versões do Windows não dispõem desse recurso.
É um cache que podemos utilizar enquanto o sistema estiver ligado.
Ao retirarmos o pen drive, todas as informações desaparecem.
Mas é exatamente assim que funciona uma memória RAM.
É volátil.

Para quem usa Linux esse recurso não existe.
Por uma simples razão: não é necessário.

Se tu usas Windows Vista, experimente turbinar a memória usando teu pen drive com o Readyboost.

Espero ter esclarecido alguma coisa sobre o Readyboost.

sábado, março 14, 2009

Quem Usa o Google Desktop?

A cada dia surgem mais ferramentas de apoio às ferramentas que já usamos num computador.
Sejam ferramentas para uso local ou para uso com conexão à web.
Uma delas é o Google Desktop.
Uma ótima ferramenta de pesquisa.
Permite localizar uma infinidade de arquivos, desde e-mails até músicas, passando pelos arquivos referenciados que estão em teu computador e notícias lidas na internet.
Todos os arquivos ou informações acessadas são indexadas pelo Google Desktop e ficam armazenadas no cache.
A qualquer momento que quiser, basta clicar 2 vezes na tecla Ctrl que se abre um box para digitar o que se busca.
Mais dois cliques no Ctrl ou um clique no Esc e caixa desaparece e não atrapalha o que quer que esteja sendo feito.
A barra lateral, para quem se sentir incomodado, também pode ser configurada para ser uma pequena lacuna no canto superior direito, como uma barra flutuante.
Há a vantagem de poder personalizar o teu Google Desktop através dos plugins, também tratados como gadgets, disponíveis em: plugins aqui

Pode ser configurado para receber notícias dos principais jornais do mundo, de acordo com a preferência que cada um escolher, selecionando até o idioma das notícias que se quer receber.
Igualmente pode ser usado um calendário, informação sobre o tempo em diversas cidades, banner rotativo de fotos e um post-it para anotações.

A Google já disponibilizou o Desktop para algumas distribuições Linux: Debian, Fedora Core, Ubuntu, SUSE e Red Hat.

Ou seja, tem para todos os gostos.

Minha sugestão do dia: - baixem, instalem e usem.
Creio que todos vão gostar.

Baixando: para Windows clique aqui

Baixando: para Linux clique aqui

terça-feira, março 10, 2009

O Povo das Estrelas - Parte I

Não conheço nada mais belo e sensual de ver do que a dança cigana.
Todo cigano adora dançar.
A dança é importantíssima para a vida dos ciganos.
Não é uma dança estereotipada.
É um movimento totalmente livre e puramente sensorial e emotivo.
É sim um momento de alegria, de festa, de celebração.
Até porque a vida dos ciganos é muito difícil.
O termo flamenco vem do árabe fellahu e mengu que significa "o camponês errante".
A palavra flamenco deve ser entendida como "pessoa sem posse de terra".
O bom da dança flamenca é que não há limite de idade para praticar.
Nesta dança os movimentos são baseados da cintura para cima, meneios de ombros, inclinação da cabeça, giro de punhos e mãos, postura ereta, braços à frente do corpo ou acima da cabeça e movimentos que sejam sempre circulares.
Hoje em dia, apesar da discriminação de séculos contra o povo cigano, já há vários locais que pretendem ensinar a dança cigana aos gadje (pessoas não-ciganas).
Eis um video da dança.

video


Muito... mas muito mesmo... me orgulha isso tudo.

~8-)

domingo, março 08, 2009

Big Brother Bobo

Uma pergunta me ocorreu: até que ponto as pessoas são capazes de chegar para bisbilhotar a vida alheia?

Alguém, muito antes de mim, viu isso e criou um modelo de programa de TV na Holanda e a coisa caminhou, devidamente alimentada pela quase doentia necessidade de muitos espionarem a vida alheia.

As pessoas estão fugindo da crise econômica, da crise financeira pessoal, da crise emocional, da crise política, da crise psicológica interna de cada um.
E isso é combustível suficiente para seduzir as pessoas e se atirarem à assistência de programas que, a bem da verdade, meramente expõem a intimidade de um grupo de pessoas confinadas a uma casa.
É interessante observar as reações de pessoas numa casas dessas?
Até é.
Não raro, quem está atento se depara com a surpresa de verificar que um participante da casa tem comportamento cambiante.
Quando se olha aquele que saiu da casa, vê-se que não parece o mesmo que estava lá.
É o fenômeno do confinamento?
Até é.
Mas é também a constatação de que não se sabia nada dessa pessoa antes de entrar lá.
Os humanos são dicotômicos.
São, na verdade, uma amálgama de comportamentos aparentemente dissonantes.
E todos os expectadores assíduos tanto se transferem para dentro da casa ou dentro do jogador, quanto transferem para si essas características.
Tenho me perguntado em que, afinal de contas, um programa como o Big Brother pode contribuir para o entretenimento e o crescimento tanto pessoal quanto material e de quem.
Não há resposta plausível.
É um entretenimento meio perigoso para certas pessoas que têm sofreguidão por vigiar os outros.
As distorções de comportamento geradas, ou adubadas, nesse contexto podem trazer prejuízos ao expectador.
Prejuízos não muito facilmente detectáveis.

A única resposta claramente boa de um programa desses vem para quem detém o próprio programa.
Pois ele dá um grande lucro considerando a audiência e os patrocinadores.
Pessoalmente acho que é só um programa e não deve ser aceito como uma necessidade nossa.

Continuo defendendo a inatacável idéia de que a televisão tinha que se ocupar um pouco mais com a cultura e o crescimento humano dos membros do grupo social onde ela está inserida.
Espaço para isso ela tem de sobra.
Falta só um pouco de vontade e respeito pelo homem.

terça-feira, março 03, 2009

Eastwood e o Cinema


Clint Eastwood.
Esse cara é importantíssimo para o cinema.
Escapou de ir para a guerra da Coréia por conta de um acidente de avião em 1950.
E o cinema agradece muito por isso.
Cinco anos depois já estreava no cinema com A Revanche do Monstro.
Mas ele apareceu definitivamente para o grande público naqueles filmes western interpretando sempre um pistoleiro sem nome daqueles que tinham uma pontaria infalível.
Eu gosto muito daqueles filmes.
São muito divertidos.
Esses filmes faziam muito sucesso tanto na América quanto na Itália.
Clint atuou em filmes inesquecíveis e marcantes.
Sua carreira decolou e durante décadas vem atuando sempre muito bem.
Dirigindo vários filmes.
Compondo.
Foi até prefeito da cidade Carmel-by-the-Sea, na Califórnia.
Mais recentemente ele dirigiu Angelina Jolie e John Malkovich no interessante filme A Troca.
É um dos quatro diretores a ganhar, em vida, dois Oscars por melhor diretor. Os outros foram: Miloš Forman, Steven Spielberg e Oliver Stone.
Só gente graúda.
E se não fosse os faniquitos da velha guarda da Academia, esse ano ele teria ganhou outro, pois Gran Torino foi mal recebido, mas é tecnicamente excelente.
Os velhinhos implicaram com o filme e pronto.
Fazer o quê, não é?

Eu adimiro o talento do Clint.
É mais que um ator: é um profissional do cinema.
Vida longa ao Sr. Eastwood !